5200 fans     1468 seguidores     43 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]

Daniel Lago

Daniel Lago

Vigo(1979). Licenciado em Ciências Políticas pela USC. Secretario de programas e estudos políticos da Executiva Nacional de Compromiso por Galicia CxG.

Viva a República!!!!!!

Publicada: 05/10/2017

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
0
0
0

Email Google+ Pinterest WhatsApp Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 7 minutos e 12 segundos.

...........Portuguesa!!! Quando os tempos tornam em cinzentos, há um recurso próprio do nosso Pais e das nossas gentes, o recurso e a licença ao que chamamos retranca. Uma forma especial de dar-lhe uma volta a uma realidade baixo um prisma de média verdade e média mentira. Uma das máximas capacidades do ser humano, dar-se a volta sobre si próprio e poder rir de um mesmo e da sua vida. -Como estás meu? -De momento bem, ainda queda muito dia!

Por certo, efetivamente, Portugal comemora este dia 5 de Outubro o dia da República que fixou a data da fim do governo monárquico lá pelo 1910. 

Bom, agora que já centrei a atenção dos monárquicos e dos republicanos, tenho que dizer que seguir nesse debate é ficar a ver navios. Na realidade, sendo eu fortemente republicano, olho sem preocupação para se tem que ser transformado o atual Reino da Espanha numa III República espanhola. É esse um problema menor. O problema real é a mesma conceção da Espanha como recipiente de multiculturalismo e cidadania, no fundo, como contendor de valores de democracia e progresso que a dia de hoje ficou vazio. 

A situação é interessante de ver. Estão por vir tempos para estudar nos livros da historia. A fugida para adiante chegou ao seu ponto final. Se seguimos para adiante, está às claras que caímos com todo. É por isso, que isto já ultrapassa as velhas e inúteis fronteiras. 

Quisera eu hoje ter que escrever sem ter esta parvoeira na cabeça, mas é que fiquei machucado por este viver na historia. E isto é porque uma parte dos cidadãos europeus ficaram machucados pela violência real do governo de um estado membro. Por muita gente, a historia passa. A outra golpeia-nos fortemente. A outra impacta-nos de fronte. 

Nada que não correra já nalgum filme, nalgum cinema. Nada que em nenhum momento fora já escrito pelas gentes de diversas épocas em muitas crónicas e diversos jornais. Argumentos interessados. E hoje chegamos a esta verdadeira infâmia, obviamente a do outro dia não o era, por muito que os altifalantes repetiram uma e outra vez. Hoje chegamos a uma intervenção militar; um anacronismo nojento nesta UE que defendemos como espaço de paz e seguridade e de respeito dos direitos e liberdades. 

É totalmente necessário a intervenção desde a UE, para que o Reino da Espanha, como membro que é, pare já uma carreira sem fundo. 

A carreira para a frente levou-nos a chegar a onde agora estamos todos. Desde já e para já, mais UE como construção e espaço de liberdades para os povos desta nossa velha Europa. As velhas estruturas estatais já cederam parte da sua soberania clássica. Porem, não tendo perdido todavia o monopólio do uso da força segue a ser esta a máxima expressão e para já quase a única, da realidade do que é o poder de permanência do Reino da Espanha dentro da UE. Sem mais competências reais sobre a economia nem em muitas ocasiões sobre as suas políticas, diluídas por arriba e por abaixo, a sua permanência unicamente tem sentido neste sustentamento do monopólio da força.

O avanço da UE fica agora mais do que nunca pendente de um fraco e demasiado fino fio de ouro.Uma reformulação da UE na base de um arranjo jurídico-político confederal-federal é um dos motores deste cambio necessário. Frente a ameaças globais, por exemplo, a UE foi até o de agora incapaz de conjuntar um exercito europeu próprio, onde não tenhamos 20 ou 30 modelos de carros de combate diferentes e foi incapaz de juntar uma europol que não dependa exclusivamente dos governos dos estados membros. E todo numa luta pela supervivência e permanência histórica do estado nascido após a queda dos velhos impérios europeus. 

Tornar-se-á mais do que nunca uma visão sobre o futuro da UE numa visão sobre uma Europa dos povos e do bem-estar. O repto do Brexit e a mais do que possível permanência da Escócia dentro da UE, levanta uma hipótese que acima do tabuleiro abre um redesenho efetivo desta UE que tem que seguir avançando em coesão e unidade política e social. Mas, se calhar, este redesenho começa hoje já no Reino da Espanha.

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

La defensa de los intereses de un país

Gonzalo Suárez

Una de las cosas más importantes que han de exigirse a un representante político, es que defienda los intereses de su país, tanto a nivel económico como a nivel diplomático. Parece una obviedad, pero en una época donde el globalismo es casi dogma de fe y las instituciones supranacionales alcanzan altas cotas de poder, no lo es. Y para ello, ha de ser necesariamente capaz también de identificar cuáles son esos intereses, así como sus aliados y sus rivales en tal empresa.   Muchos …

Gonzalo Suárez
Ler máis

Honras a Ramón Castromil

Xosé González Martínez

O pleno do Concello de Santiago vén de aprobar unha proposta da comisión de honras que preside o amigo Manuel  Dios Diz do grupo municipal de Compostela Aberta, pola que se lles retiran as distincións outorgadas durante a ditadura a nove ministros de Franco, nomeando, ao tempo, fillos predilectos a título póstumo a Federico García Lorca e a Ánxel Casal, alcalde republicano “paseado” en agosto de 1936. Pero tamén distingue coas mesmas honras a outros cidadáns, entre eles a Ramón Ca…

Xosé González Martínez
Ler máis

Publicidade na lingua dos consumidores

Xosé González Martínez

Cando a ocasión o require traemos a esta sección o debate sobre a publicidade en lingua galega para afondarmos na súa utilización nas estratexias comerciais que procuran buscar nos consumidores a fidelización ás marcas que se ofrecen.  Aínda son moitos os dirixentes empresariais que consideran que o noso idioma non é o medio indicado para pregoar as bondades das súas mercadorías. Prexuízos que teñen raíces ben chantadas nas mentes de moitos creativos formados en centros univer…

Xosé González Martínez
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
Enova Energia
Oferta empleo profesores Santa Comba
Festas A Xunqueira Cee 2018
Ruta CH Santa Comba 2018
Autos Xallas
Concello de Coristanco
El candidato ganador: Cómo organizar campañas electorales para ganar unas elecciones (Marketing Político)
KNM Abogados
Concello da Laracha
Concello de Mazaricos
En breves

Adiante TV

Opinión

La defensa de los intereses de un país

Gonzalo Suárez

Una de las cosas más importantes que han de exigirse a un representante político, es que defienda los intereses de su país, tanto a nivel económic…

Gonzalo Suárez
Ler máis

Honras a Ramón Castromil

Xosé González Martínez

O pleno do Concello de Santiago vén de aprobar unha proposta da comisión de honras que preside o amigo Manuel  Dios Diz do grupo municipal de Compo…

Xosé González Martínez
Ler máis

Publicidade na lingua dos consumidores

Xosé González Martínez

Cando a ocasión o require traemos a esta sección o debate sobre a publicidade en lingua galega para afondarmos na súa utilización nas estratexias …

Xosé González Martínez
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información