4095 fans     1321 seguidores     39 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]

Daniel Lago

Daniel Lago

Nado em Vigo, no 1979. Licenciado em Ciências Políticas pela USC (1998-2003) especialidade em estudos políticos e relações internacionais. Cursou Estudos Europeus na Universidade Moderna de Porto. Empresário do sector financeiro e da gestão de riscos e a protecção financeira. Secretario de programas e estudos políticos da Executiva Nacional de Compromisso por Galiza. Membro do Conselho Nacional e Secretario Local de CxG em Vigo.

Terror Háza Museum

Publicada: 08/09/2017

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
23
2
0

Email Google+ Pinterest WhatsApp Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 5 minutos e 23 segundos.

Na cidade de Budapeste, existe um dos museus mais duros de ver para os que temos algo de consciência. Na antiga sede do que fora a polícia política húngara durante a ocupação soviética, a ÁHV, agora ergueu um espaço de memoria e recordo das vitimas, primeiramente da ocupação nazi e posteriormente e a seguir da ocupação soviética. Qualquer qualificativo é pouco para dar reflexo do pequena que às vezes torna a mente humana, deixando dor, assassinatos e indecência na historia de gerações. 

O passado 24 de agosto, a União Europeia celebrou o dia contra do nazismo e o estalinismo, um dia para a lembrança das vitimas, que contamos por milhões, de dois regimes totalitários que provocaram imensa dor no coração da Europa. Este dia comemora-se na data da firma do pacto Molotov-Ribbentrop onde o III Reich e a URSS, ambos com pretensões imperiais e expansionistas de domínio mundial baixo a ideia de “Mitteleuropa”, repartem as suas aspirações hegemónicas europeias.

Foram muitos os países que baixo o terror do nazismo e o terror do estalinismo viveram uma época de difícil supervivência para os mais. A institucionalização da detenção, da prisão e da tortura e a sistematização da morte do divergente foi uma das suas características. 

Até onde eu chegava até o de agora, sabia do intento revisionista que entorno à “Shoah” existe por uma parte da extrema-direita, chegando inclusive a negar o mesmo e a própria existência dos campos de extermínio. As evidencias existem por toda Europa, milhões de pessoas foram sistemática e matematicamente classificadas, escravizadas e tiradas da humanidade. Os planos de extermínio foram uma das mais cruas criações da mente humana. O nazismo foi uma experiência totalitária nefasta para a humanidade. Nojo!

Ora bem, nasce também na extrema-esquerda, uma corrente onde existe um forte espírito de defesa das bondades do “socialismo real” e negam também o horror que foi o regime totalitário que espalhou pela Europa na segunda metade do século XX. Isto é profundamente terrível. Entramos na sombra da dúvida sobre a Apocalipse que significaram os regimes estalinistas por exemplo, nas Repúblicas Populares da Hungria dirigida por Rákosi, na Roménia de Ceausescu ou na Albânia mais isolada e fechada de Enver Hoxha, por um caso entre outros. Do outro lado da cortina de ferro, nessa parte que ficou fora do bloco ocidental após a derrota do nazismo na II Guerra mundial, sofreram durante décadas a repressão do estalinismo sobre as suas populações que agora é negada num manifesto assinado por diversas forças políticas chamadas comunistas. Náusea!

No museu “Terror Háza”, podes olhar uma parte do nosso ser profundo mais brutal, reptiliano e vazio de qualquer aparência humana. Também fora das suas portas, temos por toda a Europa mostras da barbaridade e crueldade que foram ambos regimes, que com as suas diferencias, partilharam um ódio profundo cara a humanidade, a liberdade e a vida. Ambos seriam matriz ideológica de regimes políticos por todo o planeta que abriram e verteram ao longo do mundo os intestinos da humanidade.

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

300

Daniel Lago

Isto poderia ser um modo de enfiar o tema com a banda desenhada, ou o mais conhecido filme, onde Leónidas defende com 300 espartanos o passo das Termópilas dos invasores do império de Xerxes I. Poderia, mas não é, isto não trata disto, não vamos falar das guerras da antiga Grécia. Ou se calhar, também, pode ser.   Temos, assim por diante, no horizonte da construção da União Europeia vários modelos desenhados para a agenda 2020 afetada por temas coma o Brexit ou a criação de…

Daniel Lago
Ler máis

Miguel Ángel, un ourensán precursor da galeguización

Xosé González Martínez

A Deputación de Ourense concedeulle o premio Ourensanía a Miguel Ángel González “por ter sido,se cadra, o deportista ourensán que máis altas cotas de recoñecemento acadou no ámbito internacional que nunca esqueceu as súas raíces, que aínda hoxe reivindica dentro e fóra de Ourense”. Tales foron os méritos que o xurado considerou para tal distinción institucional.     Por volta dos anos oitenta, servidor era funcionario do Concello de Redondela e xefe do seu servizo de…

Xosé González Martínez
Ler máis

Non falta tanto para as eleccións municipais

Xosé Manuel Lema Mouzo

Non lle faltaba razón ao político laborista británico Harold Wilson cando dicía que en política unha semana é moito tempo. Nunhas horas ou nuns días pódese desmoronar o castelo de naipes de calquera dirixente ou organización.    Pero non é menos certo que para a estratexia política a cousa é diferente. Un ciclista pode quedar sen forzas a poucos quilómetros da meta e estragar todo o traballo dun ano nuns minutos, pero o traballo de preparación fíxoo chegar ata aí. E o nor…

Xosé Manuel Lema Mouzo
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
Enova Energia
Concello da Laracha
Concello de Mazaricos
Concello de Neda
El candidato ganador: Cómo organizar campañas electorales para ganar unas elecciones (Marketing Político)
OndaHit
En breves

Adiante TV

Opinión

300

Daniel Lago

Isto poderia ser um modo de enfiar o tema com a banda desenhada, ou o mais conhecido filme, onde Leónidas defende com 300 espartanos o passo das Term…

Daniel Lago
Ler máis

Miguel Ángel, un ourensán precursor da galeguización

Xosé González Martínez

A Deputación de Ourense concedeulle o premio Ourensanía a Miguel Ángel González “por ter sido,se cadra, o deportista ourensán que máis altas c…

Xosé González Martínez
Ler máis

Non falta tanto para as eleccións municipais

Xosé Manuel Lema Mouzo

Non lle faltaba razón ao político laborista británico Harold Wilson cando dicía que en política unha semana é moito tempo. Nunhas horas ou nuns …

Xosé Manuel Lema Mouzo
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información