3128 fans     1119 seguidores     38 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]
Ingenieria Rodríguez

Daniel Lago

Daniel Lago

Nado en Vigo, en 1979.Licenciado em CC. políticas pela USC (1998-2003) especialidade em estudos políticos e relações internacionais.Especialidade Estudos Europeus na Universidade Moderna de Porto.Empresario do sector financeiro e da gestão de riscos e a proteção financeira.Membro do CPN de Compromiso por Galicia 

Sigurimi, una nova moda de sushi

Publicada: 22/06/2016

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
0
0
0

Email Google+ Pinterest Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 5 minutos e 51 segundos.

Sigurimi, com certeza que está a evocar nos mais, um grande apetite e umas fortes ganas de comer sushi. Com licença, um Sigurimi de algas e salmão, faz favor!! Mas o Sigurimi não é por desgraça, uma maneira nova de fazer atractivo o peixe cru. 

Siguirimi representa nada na cabeça de muitos, seguramente será o que isso, um novo tipo de sushi. No mesmo que a Pide, uma nova bebida refrescante que traz um sabor novo, excitante e natural!!! Seguramente a Pide aparece anunciada na televisão com algum pivô famoso a beber o dito refresco, com um “gingle” pegadiço e milhares de pícaros sobre-expostos à toma de açucares. Onde é que fica a melhor casa de comidas para experimentar estas novas preparações; com nome que evoca ao oriental ou quando menos ao Leste; pois será na Stasi. Um grande nome, não há dúvida, uma grande sonoridade. Checa, tampouco era mal nome. Ouça!! vamos logo jantar na Checa uns bocados de Sigurimi?? Ora bem, hoje poderíamos arranjar na Stasi, na Checa o outro dia tomei um Sigurimi e tinha demasiado NKVD, demasiado.

O Siguirimi não é uma nova elaboração do sushi. Nem a Pide um novo refresco. Nem a Checa ou a Stasi restaurantes de moda. Sinto a decepção dalguns, desculpo o sorriso dos mais e reconheço a indiferença própria na juventude.

O caso é que muita da gente, que gosta da nova moda, nunca experimentou a velha e nunca ultrapassou a barreira da elaboração da comida aquecida ou instantânea. O hidrogénio liquido, o ar de azeite, os jogos de luzes, os sabores conceptuais, tudo envolto num prato de desenho e bem grande; onde cabe de todo.  Isto de um lado, tem o seu público alvo numa gente de cultura gastronómica de escaparate. De outro lado, a realidade, na casa o mais que cozinha a maioria, é um leite aquecido no micro-ondas com umas bolachas ou uns cereais para o pequeno-almoço. Ou numa outra hipótese, aquecem uma ementa de preparação industrial. Tampouco é que a cozinha, no fim, seja o nosso, melhor em embalagem plástica: refeição individual para fora. Além de tudo, assim não temos que arranjar a cozinha, que sempre dá trabalho.

Um sentido do gosto e do olfacto, sem educar, sem adestrar, leva a comer em muito, hoje em dia, com os olhos, a comer unicamente com a vista, a comer segundo o escaparate. Será por tanta televisão consumida; muitas horas; e as poucas horas dedicadas a mercar, cultivar e auto-produzir alimentos nós mesmos, será pelo pouco tempo destinado a elaborar as comidas na casa. Uma embalagem bonita, uns aditivos que aportem sabores e aromatizantes variados, umas “celebreties” soltando um par de dicas de ordem axiomático e já está, “voila!!”: hoje em dia a refeição perfeita. E não venha você a dizer que é artificial, ou que a etiquetagem tem gralhas evidentes. Não venha você a dizer que os produtos não são de mercados locais ou que não respeitam as normas de higiene e sanidade. É rápido, cómodo e singelo e pode apanhar em qualquer local. 

E é nisto que se tem transformado a mensagem política no fim. Todo o mais parecido à dieta da alcachofra ou a umas almôndegas suecas preparadas. Sem saber e sem importar já de que horta são os produtos, em que cozinha foram preparados, nem o significado do nome que têm as coisas. E assim, logo de tomar o dia 26-J o segundo prato, ficaremos aguardando por uma sobremesa que chegará em outono.

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

Un novo modelo de empresa?

Natalia Lema Otero

Din os expertos ou mesmo os tecnócratas máis asentados neste eido que nos encontramos ante unha revolución tecnolóxica. Quizais ese sexa o noso porvir, as xestións e os servizos empezan a facerse por vía telemática e, tal vez, o único que nos falta é implantar este modelo adaptado á empresa. A actividade económica que nos xere beneficios necesita unha renovación posicionada cara os novos tempos, á venta online debería ser o primeiro paso. Todo isto debería ir ligado ao market…

Natalia Lema Otero
Ler máis

Poca sabiduría

Nacho Louro

Hay un refrán que solemos mentar y utilizar a menudo para expresar que cuando cometemos un  error, siempre existe una oportunidad para enmendarlo; “rectificar es de sabios”. Cuando el tiempo nos ofrece la posibilidad de corregir nuestra equivocación, pero somos incapaces de hacerlo, bien porque nuestra sesera no da para más, o bien porque a sabiendas persistimos en nuestro error movidos por un espíritu revanchista, nos convertimos irremediablemente en inútiles o torpes, o lo que es peo…

Nacho Louro
Ler máis

A COVA DE ALÍ-BABA

Daniel Lago

Pois está a coisa a ser bem curiosa. O frio siberiano, por uma deslocação do vórtice polar, mais ao sul do que vem sendo normal, tem a Europa toda alagada em temperaturas muito por debaixo dos zero graus Celsius. Não é facto casual, mas a invernia sempre resultou numa ajuda para os russos.    Neste gélido paisagem, o “trumpismo” começa a repartir doutrina aquém e além do mundo. Estes dias já está o seu representante em Davos, ao igual que o Xi Jinping; convidado pela vez …

Daniel Lago
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
OndaHit
Liga Fútbol Sala Santa Comba
Auto Xallas 2017
Mantido S.L. Construcciones y Obras Públicas
Concello de Dumbría
Concello de Mazaricos
En breves

Adiante TV

Opinión

Un novo modelo de empresa?

Natalia Lema Otero

Din os expertos ou mesmo os tecnócratas máis asentados neste eido que nos encontramos ante unha revolución tecnolóxica. Quizais ese sexa o noso po…

Natalia Lema Otero
Ler máis

Poca sabiduría

Nacho Louro

Hay un refrán que solemos mentar y utilizar a menudo para expresar que cuando cometemos un  error, siempre existe una oportunidad para enmendarlo; …

Nacho Louro
Ler máis

A COVA DE ALÍ-BABA

Daniel Lago

Pois está a coisa a ser bem curiosa. O frio siberiano, por uma deslocação do vórtice polar, mais ao sul do que vem sendo normal, tem a Europa toda…

Daniel Lago
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información