4206 fans     1344 seguidores     39 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]
Ingenieria Rodríguez

Daniel Lago

Daniel Lago

Nado em Vigo, no 1979. Licenciado em Ciências Políticas pela USC (1998-2003) especialidade em estudos políticos e relações internacionais. Cursou Estudos Europeus na Universidade Moderna de Porto. Empresário do sector financeiro e da gestão de riscos e a protecção financeira. Secretario de programas e estudos políticos da Executiva Nacional de Compromisso por Galiza. Membro do Conselho Nacional e Secretario Local de CxG em Vigo.

O TRUMPXIT

Publicada: 09/11/2016

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
0
2
0

Email Google+ Pinterest WhatsApp Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 5 minutos e 47 segundos.

A próxima administração republicana, guiada pelo novo comandante em chefe Donald J. Trump estará sem dúvidas marcada com uma política económica que têm um futuro incerto na economia, tanto dos EUA, como do resto do mundo. Uma política económica restritiva que afectará em negativo aos mercados dos chamados países emergentes; com uma clara linha restritiva para o livre comercio, e uma política exterior, que desenhara, finalmente, uma nova ordem mundial.

Além da vulnerabilidade, durante os próximos meses dos mercados mundiais, olhando para o nível interno da economia dos EUA, pode ser bem certo que de produzir-se a anunciada rebaixa fiscal, no curto prazo, tenha uma repercussão positiva para uma reactivação empresarial americana. Porem, um dos problemas finais das políticas económicas da nova administração Trump, no médio prazo, é que esta pode derivar na ineficácia sobre a economia real, sendo pouco favorável para o crescimento a rebaixa fiscal anunciada. Uma rebaixa fiscal que terá efeito sobre as rendas mais altas, mas que não chegara às gentes que deram o seu apoio ao excêntrico;, por dizer algo; multimilionário. Isto, no final pode levar a uma viragem cara o gasto no complexo industrial-militar como estímulo orçamentário; logo dos recortes em gasto em defesa dos últimos anos da administração Obama. 

Os mesmos que apoiaram a Trump, logo da reactivação da economia durante a administração Obama, podem ver no futuro como não recolhem nenhum beneficio e inclusive olharão como reduzirão o seu nível de bem-estar e de qualidade de vida. 

Nestas o Trump é que levará o seu discurso na procura de um inimigo, um interno e outro externo, para justificar uns “orçamentos de guerra”, tal e como fizera ao longo desta campanha presidencial.

Finalmente, o cenário é o de achegar a uma dívida pública dupla da actual; numa economia que poderíamos fixar com forte carácter de guerra; ante um aumento do gasto previsível sem precedentes e uma redução dos ingressos anunciada. 

O mundo pode estar na caminhada cara uma incertidão e vulnerabilidade já anunciada desde os começos da década de 2000 e incitada com grande sucesso desde a entrada da China na OMC e os seus planos de domínio mundial, e nos últimos tempos, com a colaboração necessária da Rússia do Putin. Hoje é já esse dia. O dia que todos aguardamos com impaciência e que já na fim deu chegado.

E passou o “Election day”, e olho para atrás e lembro agora, mais do que nunca, uma das primeiras coisas que sobre a ciência política, num mais do que correcto anglicismo, tinha chegado aos meus ouvidos: “checks and balances”.

Ainda bem que a democracia na América é assim, e os chamados “Pais Fundadores” achavam imprescindível a limitação do poder a través de distintos médios. Ainda bem, que o complexo sistema de separação de poderes saído da ração e da iluminação que levou, já na fim da guerra da Independência, à limitação do poder, uma das maiores preocupações do sistema político dos Estados Unidos, sempre com as preocupações em evitar qualquer uma classe de tirania e qualquer um abuso de poder. A hipótese neste caso, é se chegarão a funcionar os bloqueios institucionais. 

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

China,más Comunismo para perpetuar el Capitalismo

José Manuel Palacín Y Rodríguez

Estos días asistimos al XIX Congreso del Partido Comunista chino, o sea, que se están celebrando las elecciones a la Presidencia del Gobierno, con designación colegiada de los gerifaltes del mandarinismo del siglo XXI; del mismo modo se están trazando las directrices de las futuras políticas socioeconómicas y decidiendo las cuotas de poder de las diferentes facciones.    El “reelegido” es Xi Jinping, o sea, el que tiene mayor influencia en los reducidos círculos de poder. Este…

José Manuel Palacín Y Rodríguez
Ler máis

Incendios y oportunistas

Nacho Louro

Sin lugar a dudas lo más triste de esta tragedia medioambiental, es la pérdida de cuatro vidas humanas. Los terroristas ecológicos han sabido aprovechar muy bien las condiciones climatológicas adversas para causar el mayor daño posible. Buscaron el momento propicio aprovechando los efectos del huracán Ophelia. Vientos fuertes de 80-100 km/h, altas temperaturas que en algunos lugares alcanzaban los 30º, una sequía prolongada en el tiempo, baja humedad en el suelo y en el aire, y una activ…

Nacho Louro
Ler máis

Máximas desculpas Portugal

Daniel Lago

A solidariedade para com todas as famílias das vitimas e desde a minha cativa posição, exponho as minhas máximas desculpas, no nome dos bons e generosos, por ter culpado o nosso presidente a Portugal dos lumes na Galiza.   Vou ser tremendamente descarnado desta volta. Vou ser direto e sem voltas retóricas: é insultar de maneira nojenta a confeção do relato que sobre a vaga de lumes florestais o Presidente da Junta da Galiza tem feito neste domingo passado. Um relato cheio de menti…

Daniel Lago
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
Enova Energia
CMAT
Concello da Laracha
Concello de Mazaricos
Concello de Neda
El candidato ganador: Cómo organizar campañas electorales para ganar unas elecciones (Marketing Político)
OndaHit
En breves

Adiante TV

Opinión

China,más Comunismo para perpetuar el Capitalismo

José Manuel Palacín Y Rodríguez

Estos días asistimos al XIX Congreso del Partido Comunista chino, o sea, que se están celebrando las elecciones a la Presidencia del Gobierno, con d…

José Manuel Palacín Y Rodríguez
Ler máis

Incendios y oportunistas

Nacho Louro

Sin lugar a dudas lo más triste de esta tragedia medioambiental, es la pérdida de cuatro vidas humanas. Los terroristas ecológicos han sabido aprov…

Nacho Louro
Ler máis

Máximas desculpas Portugal

Daniel Lago

A solidariedade para com todas as famílias das vitimas e desde a minha cativa posição, exponho as minhas máximas desculpas, no nome dos bons e gen…

Daniel Lago
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información