3665 fans     1242 seguidores     39 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]
Anunciate aquí - Adiante Galicia

Daniel Lago

Daniel Lago

Nado em Vigo, no 1979. Licenciado em Ciências Políticas pela USC (1998-2003) especialidade em estudos políticos e relações internacionais. Cursou Estudos Europeus na Universidade Moderna de Porto. Empresário do sector financeiro e da gestão de riscos e a protecção financeira. Secretario de programas e estudos políticos da Executiva Nacional de Compromisso por Galiza. Membro do Conselho Nacional e Secretario Local de CxG em Vigo.

GOODBYE MR. PRESIDENT

Publicada: 11/01/2017

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
2
0
0

Email Google+ Pinterest WhatsApp Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 3 minutos e 47 segundos.

Neste novo mundo, onde há muitas coisas a mudar, e a mudar rapidamente, temos que podemos defrontar-nos a um novo marco definitório do que é que a guerra é. Umas destas incertezas, destes novos modelos de guerra, provem dos novos modelos de transmissão da informação. A informação é mais do que nunca poder.

A guerra “híbrida”, na que já estamos, tem um campo de batalha que é uma realidade virtual. As redes e a conectividade, lançam ao minuto mensagens, notícias, ficções,.. e analisam-se milhões de terabytes de unidades de informação ao dia. Os conflitos futuros bateram fortemente no sistema de valores e na forma em que as sociedades estão organizadas. A coesão social será um alvo fundamental; o consenso é um elemento a quebrar para adquirirem uma posição de domínio e poder. Neste lado da batalha, o “Big Data” torna uma arma de destruição maciça.

Destruir a cooperação e os modelos de integração é uma arma poderosa, que incide com poder destrutor nas nossas sociedades. Na atualidade, olhamos como a polarização na sociedade civil, leva a que estes fenómenos que atingem diretamente nos princípios das democracias avançadas ocidentais, aparentemente, de cada vez, tenham mais força.

Na UE, neste anunciado como cumprido 2017, temos de aqui para a frente, momentos onde esse consenso social sobre o modelo de integração e cooperação irá a ser questionado fortemente. O processo aberto pelo Brexit, as eleições presidenciais na França, nos Países Baixos e na Alemanha; marcarão em muito o futuro da União.

A efervescência de forças anti-europeistas, é mais uma parte da guerra. Destruírem ao inimigo desde as suas próprias debilidades. Pois não dê para esquecer: as democracias são extremamente ténues e líquidas. Ao longo da história da humanidade, a normalidade é a tirania.

A linha que separava, até o de agora, o avanço e o progresso das sociedades democráticas está a ser profundamente quebrada por poderes autocráticos. Ontem mesmo, Obama, no seu discurso de despedida em Chicago, lembrou o perigo a derrota das democracias, e como estas, podem olhar erguer desde dentro a sua própria falência. 

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

O giro copernicano

Daniel Lago

A divisão entre esquerda e direitas, fica cada ano, mais e mais indiferente, para separar o grão da palha. Nesta altura do mundo, a direita é algo onde existe uma entre-mescla de neo-tradicionalistas, anti-globalização e anti-Europa. O mesmo na esquerda, onde há um forte pouso de anti-europeísmo e anti-globalização que deixa a um lado, o que fora no seu tempo, um dos sinais identificadores dos movimentos chamados da esquerda: o internacionalismo e o seu cosmopolitismo.   Como p…

Daniel Lago
Ler máis

Sigamos con unidad

Nacho Louro

Como anunciaron, los Riazor Blues abandonaron Riazor en el minuto treinta, eso sí, no sin escuchar del resto de aficionados el grito unánime de “fuera, fuera”, acompañado de una más que sonora pitada. En su comunicado los Blues reclaman una limpieza total del club, cargando las tintas sobre el presidente, la directiva, los jugadores y el cuerpo técnico. Se equivocan, ese no es el camino a seguir.   El Depor no es de ellos, es de todos los accionistas, socios, abonados y seguidore…

Nacho Louro
Ler máis

Milucho, una persona inolvidable

Xosé Manuel Lema Mouzo

El activo dinamizador bergantiñán, Emilio Calvo Pan, ha fallecido como consecuencia de una larga enfermedad. Pero la huella de “Milucho” permanecerá imborrable en la memoria colectiva de Buño, Malpica y de la comarca de Bergantiños.   Nos ha dejado un hombre bueno y un amante de su tierra. Nos ha dejado una persona servicial. Milucho era (y es) ese amigo que ofrece ayuda al caminante en su trayecto. Los que nos enorgullecemos de conocerlo, sabemos de la impronta que deja en los c…

Xosé Manuel Lema Mouzo
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
II Concurso Tortilla Santa Comba 2017
OportuniGadis
Enova Energia
Costa Artabra
OndaHit
Auto Xallas 2017
Concello da Laracha
Concello de Mazaricos
En breves

Adiante TV

Opinión

O giro copernicano

Daniel Lago

A divisão entre esquerda e direitas, fica cada ano, mais e mais indiferente, para separar o grão da palha. Nesta altura do mundo, a direita é alg…

Daniel Lago
Ler máis

Sigamos con unidad

Nacho Louro

Como anunciaron, los Riazor Blues abandonaron Riazor en el minuto treinta, eso sí, no sin escuchar del resto de aficionados el grito unánime de “f…

Nacho Louro
Ler máis

Milucho, una persona inolvidable

Xosé Manuel Lema Mouzo

El activo dinamizador bergantiñán, Emilio Calvo Pan, ha fallecido como consecuencia de una larga enfermedad. Pero la huella de “Milucho” permane…

Xosé Manuel Lema Mouzo
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información