5053 fans     1427 seguidores     43 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]
ElectroXallas

Daniel Lago

Daniel Lago

Vigo(1979). Licenciado em Ciências Políticas pela USC. Secretario de programas e estudos políticos da Executiva Nacional de Compromiso por Galicia CxG.

As "joint ventures" russo-chinesas ou de como o cobre galego acabaria na China

Publicada: 15/05/2018

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
3
1
0

Email Google+ Pinterest WhatsApp Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 8 minutos e 6 segundos.

Este parece um título de um livro de aventuras para adolescentes daquela serie da Enid Blyton. Poderia ser, mas não é esta a hipótese na que andamos. A nova rota da seda e sua estratégia de alongamento da influencia chinesa no mundo tem uma parceria de primeira ordem no apoio da Rússia do Putin aos mandatos de nova governança mundial que o Xi-Jinping tem fixado definitivamente neste passado mês de outubro de 2017.

Este novo acordo aliás de no político, tem um centro de gravidade no económico. Neste centro de gravidade económico, não poderia ser doutra maneira, a atividade mineira tem uma centralidade especial para o futuro. E é que neste sentido, Pequim é já o hoje o maior importador mundial de cobre e de minério de ferro. Começando na Sibéria russa, justo à beira da Manchúria chinesa e seguindo o percurso de mais de 4000 km oeste-este do rio Amur achamos com os novos “El dorado” para as empresas de extração mineira de capital misto chinês e russo. A demanda chinesa de minerais e outras “commodities” faz que o avanço chinês na sua procura chegue já até o nosso País.

Neste virar do mundo, o 75% das reservas mundiais de matérias primas ficam nesse “heartland” eurasiático que já é dominado em oligopólio pela Rússia e a China. Uma grande parte da fronteira entre ambos estados pertence a este heartland.

Uma das partes fundamentais neste avanço chinês é a chegada de matérias primas para uma industria chinesa de cada vez mais fomenta por absorver recursos. O banco de inversões asiático e a estratégia OBOR (one belt, one road) conhecida como a nova rota da seda vão bem neste sentido. Do lado Russo a constituição da União Económica Eurasiática (EAEU), como mercado comum para este heartland e os estados rematados em “-ão” confirma esta “join venture” mundial entre chineses e russos.

A esta estratégia têm somado as novas “matryoshkas” da inversão internacional: os fundos de investimento russo-chineses que operam já exclusivamente em yuan, a moeda chinesa. Uma destas outras novas “matryoshkas” são as exportações russas de petróleo para a China que duplicaram em tamanho desde 2012 e que tem dentro uma outra “matryoshkas”; um grande oleoduto a transportar desde o oriente russo para a China e que já leva transportadas 100 milhões de toneladas. Uma outra “matryoshkas” mais é que em Rússia são as matérias primas que representam o 75% das suas exportações e das que a industria da China da boa conta. 

Novas estradas, novos caminhos de ferro e uma nova frota de barcos tecer vão uma nova rede de infraestruturas completando o avanço do oriente cara ocidente. O giro sobre o Indico e a construção da primeira base naval chinesa no exterior, marcam o caminho de ir deixando atrás o Pacífico; o avanço até Teerão completando a nova rota da seda por uma banda e por outra o caminho transiberiano desde a Manchúria passando pelas novas explorações mineiras seguindo o curso do rio Amur a través de “join ventures” de capital chinês e russo apoiadas sempre com um forte investimento do estado em infraestruturas para facilitar um fluxo de matérias primas que vão desde a madeira até o ouro e saem caminho de Pequim, todo encaminhado a um novo eixo de poder mundial.  

Mas as join-ventures russo-chinesas pelo mundo adiante não ficam neste passo. Temos por diante um novo plano dentro do triângulo da Turquia, do Irão e da Rússia. Neste plano a China intervém com a construção do maior porto comercial na península arábica no Irão, que é um dos “hub” mundiais que nascera na beira do Indico, chamado a ser o oceano com mais rotas comerciais do mundo, superando com muito ao Atlântico e ao Pacífico. Neste novo plano as “pipelines” do golfo pérsico viram cara a Ásia avançando cara a China.

Neste caminhar cara o ocidente na procura de matérias primas chegou a China à beira da catedral de Santiago. Assim é que chegou a uma antiga mina de cobre, entre os concelhos de Touro e O Pino e que agora parece que segundo os preços a futuros da matéria prima e da sua demanda mundial impulsada pela desenvolvimento chinês faz apetecível novamente a sua exploração. 

A nova globalização comandada por China e o seu parceiro russo encaminha uma exploração dos recursos do planeta em níveis aos que nunca antes chegamos. As “join-ventures” russo-chinesas são as “matryoshkas” do século XXI é o sinal mais claro da nova ordem mundial que está a vir, dominada pelo politburó do Partido Comunista da China. 

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

A irmandade xurídica galega fóra da burbulla

Xosé González Martínez

Chegado o Día das Letras Galegas escóitanse os  recorrentes discursos de sempre: a culpa da perda de falantes  é das institucións, e nomeadamente da Xunta de Galicia. Non vou ser eu quen a exima da súa alícota responsabilidade, porque a Lei de normalización lingüística ten mandatos expresos. O problema da desgaleguización é moito máis complexo, porque son moitos máis os axentes que interveñen na pervivencia dunha lingua, sobre os que recae tamén a súa parte de responsabilidade…

Xosé González Martínez
Ler máis

O tímido galeguismo das universidades

Xosé González Martínez

O día 9 de marzo de 1933, fai agora,xa que logo, oitenta e cinco anos, celebrouse no Paraninfo da Universidade de Santiago un acto de especial significación dados os avoltos tempos que vivía daquela Galicia. Francisco Fernández del Riego, que entón era un  alumno da Facultade de Dereito, presentaba ao profesor  Álvaro de las Casas, que impartiría unha conferencia titulada “Verbas aos mozos galegos. O momento universitario”.   As propostas do conferenciante eran  novidosas e …

Xosé González Martínez
Ler máis

En juego la supervivencia

Nacho Louro

El Partido Popular es desde hace tiempo un barco que navega a la deriva. La brújula de Génova no es capaz de enderezar el rumbo, de intentar corregir los malos pronósticos que arrojan todas las encuestas. Un capitán y una tripulación que improvisan, que han perdido sus cartas de navegación, que son incapaces de interpretar la luz de muchos faros que avisan de que la ruta elegida está llevando el barco a un encallamiento del que costará mucho salir. Un capitán y una tripulación incapace…

Nacho Louro
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
Electrodomésticos Angel
Letras Gallegas Santa Comba 2018
Concello de Coristanco
Enova Energia
El candidato ganador: Cómo organizar campañas electorales para ganar unas elecciones (Marketing Político)
KNM Abogados
Concello de Dumbría
Centro de Ortodoncia e Implantologia Dr. J.M. Pose Rodríguez
Concello de Mazaricos
Concello de Neda
OndaHit
En breves

Adiante TV

Opinión

A irmandade xurídica galega fóra da burbulla

Xosé González Martínez

Chegado o Día das Letras Galegas escóitanse os  recorrentes discursos de sempre: a culpa da perda de falantes  é das institucións, e nomeadament…

Xosé González Martínez
Ler máis

As "joint ventures" russo-chinesas ou de como o cobre galego acabaria na China

Daniel Lago

  Este parece um título de um livro de aventuras para adolescentes daquela serie da Enid Blyton. Poderia ser, mas não é esta a hipótese na que…

Daniel Lago
Ler máis

O tímido galeguismo das universidades

Xosé González Martínez

O día 9 de marzo de 1933, fai agora,xa que logo, oitenta e cinco anos, celebrouse no Paraninfo da Universidade de Santiago un acto de especial signif…

Xosé González Martínez
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información