5675 fans     1543 seguidores     43 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]
Adiante Última Hora
  • Cargando las noticias de última hora...Cargando las noticias de última hora...

Daniel Lago

Daniel Lago

Vigo(1979). Licenciado em Ciências Políticas pela USC. Secretario de programas e estudos políticos da Executiva Nacional de Compromiso por Galicia CxG.

A Espanha silenciosa, a Galiza calada

Publicada: 30/07/2018

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
4
0
0

Email Google+ Pinterest WhatsApp Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 5 minutos e 51 segundos.

Efetivamente, estamos na torna-volta a esse discurso que tanto gosta no PP no que existe uma Espanha silenciosa, que não fez ruído nem reclama nas ruas os seus objetivos políticos. Uma Espanha silenciosa, que como o seu hino que não tem voz. Algo próprio da maneira de ser um bom espanhol, ficar em silencio ante as dificuldades; seja bom espanhol: ”haga como yo y no se meta en política”.

Por outra bando existe uma Galiza calada. Uma Galiza que não quer expressar a sua vontade no político e prefere ficar calada. É uma Galiza que deixa que lhe tirem as palavras e que lhe tirem a dignidade a sua gente: uma gente calada.

Entre a Espanha silenciosa e a Galiza calada, aparece o efeito perverso de uma ausência total de relevância política alguma dentro do Reino da Espanha da nossa terra, das nossas gentes. O nosso poder de influencia nos temas que no final definem o nosso bem-estar remata por ser abduzida dentro da nossa própria insonoridade ante a nulidade de altifalantes que elevem a nossa voz nos diferentes níveis de poder, tanto dentro do estado, como na UE.

E claro, a Espanha silenciosa são 11 milhões de habitantes no eixo Madrid-Andaluzia, e claro, entrementes a Galiza calada somos escassamente uma população de 2,5 milhões, ao final, claro, sempre acaba fazendo muitíssimo mais ruído essa Espanha silenciosa. A falta de uma força política de governo que priorize os votos dos galegos e galegas faz ficar ao nosso País calado, mudo e sem poder nenhum de influencia nas grandes decisões que nos afetam dentro da política estatal e europeia. 

A necessidade de uma força de governo que tenha como eixo do seu projeto o bem-estar dos galegos e das galegas, no mesmo sentido que por exemplo existem noutras nações que formam o Reino da Espanha, é um caminho que devemos ir adiantando. Os Casado, os Rivera, os Iglesias e toda essa manada de salva pátrias poderão chegar a salvar a essa Espanha silenciosa, embora Galiza ficará calada e deserta; tanto no político como no económico. Assim, o PP, Psoe, Podemos e C´s, não deixam de serem o novo sistema de 4 partidos que conserva essa grande e silenciosa maioria da “espanholidade” de Espanha.

Unicamente nós com a nossa vontade é que temos nas nossas mãos cambiar este ritmo da política no nosso País, uma política que leva décadas a soar em “play-back” e com o mesmo disco uma e outra vez a soar em “random”. Esse de que somos extra-radio, esse de que somos uma “banlieue” de Madrid e de que com os nossos impostos não damos pagados os nossos serviços de sanidade, educação, infraestruturas,... Esse disco com essa canção já barolenta sobre uma Galiza inútil, que no fundo não deixa de ser mais do que essa Galiza calada.

Ante essa Espanha silenciosa, que não é tal: que fez ruído com uma metrópole por onde têm que passar todos os aviões, todos os comboios, todos os carros,.. que fez o ruído todo das televisões, dos jornais, das rádios,... nós seguimos a ser um País calado. Ou começamos a fazer o nosso próprio disco ou ficaremos mais tempo calados. Ao melhor já é tanto tempo calados, que igual já até parece que igual estamos mortos e os únicos ruídos que ouçamos sejam os ruídos de espadas entre os “camisas viejas” e os “camisas nuevas”.

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

Psicología y Carnavales

Lidia Rial

Los Carnavales se acercan y con el llega un momento perfecto para que niños y mayores disfruten de este rito tan lúdico. Lo auténtico de estas fiestas es el contexto de libertad en el que todos nos movemos, dejando atrás sentimientos como la vergüenza, la autocensura o el miedo al "qué pensarán de mí". El Carnaval permite sacar toda la alegría e ilusión y disfrutar con quienes se unan a nosotros.  Si durante nuestro día a día, llevamos una "careta" autoimpuesta o inconsciente …

Lidia Rial
Ler máis

La partitocracia del Reino de España

Álvaro Rodríguez

España, al igual que todos los estados europeos,  está gobernada por un partido único, que se divide en facciones. Cada facción se denomina partido, para aparentar pluralidad política y con ello disfrazar la existencia del  partido único. Todo ello se articula mediante el consenso político, que une a todas las oligarquías de las facciones.  Y ello conlleva que las diferentes oligarquías se separen del consenso social. Las facciones van  los suyo, y el pueblo no les  importa.  De e…

Álvaro Rodríguez
Ler máis

"Juntos, café para dos, fumando un cigarrillo a medias"

Daniel Lago

Quase 40 anos depois, seguimos com o Estatuto de autonomia sem desenvolver. Aparece na minha cabeça essa opulenta frase, que mais parece derivada de uma boa enchente em qualquer furancho a pipotes de vinho: “Espanha é o único pais do mundo em que...” tão forçada e tão berrada no seu histericismo perpétuo pelo Blanco Valdés nos diferentes médios nos que insufla o seu discurso. Esse é dos homens que pode travar-se um dia a língua e igual morre ate envenenado. Pois efetivamente, f…

Daniel Lago
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
Feira Primavera Santa Comba 2019
Promo Carritos Gadis 2019
GDR 2019
Gadis 36.000 euros 2019
Autos Xallas
Concello de Coristanco
Concello de Dumbría
Concello de Mazaricos
En breves

Adiante TV

Opinión

Psicología y Carnavales

Lidia Rial

Los Carnavales se acercan y con el llega un momento perfecto para que niños y mayores disfruten de este rito tan lúdico. Lo auténtico de estas f…

Lidia Rial
Ler máis

La partitocracia del Reino de España

Álvaro Rodríguez

España, al igual que todos los estados europeos,  está gobernada por un partido único, que se divide en facciones. Cada facción se denomina parti…

Álvaro Rodríguez
Ler máis

"Juntos, café para dos, fumando un cigarrillo a medias"

Daniel Lago

Quase 40 anos depois, seguimos com o Estatuto de autonomia sem desenvolver. Aparece na minha cabeça essa opulenta frase, que mais parece derivada de …

Daniel Lago
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información