4761 fans     1374 seguidores     41 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]
Poxas Santa Comba 2018

Daniel Lago

Daniel Lago

Vigo(1979). Licenciado em Ciências Políticas pela USC. Secretario de programas e estudos políticos da Executiva Nacional de Compromiso por Galicia CxG.

1.500 milhões para os bascos e A-76

Publicada: 04/05/2017

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
43
0
0

Email Google+ Pinterest WhatsApp Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 5 minutos e 19 segundos.

O que chamamos “Galiza interior” está a viver, segundo os dados amossam, uma morte lenta e, nos mais dos casos, poderíamos dizer que dolorosa. O despovoamento, a falha de tecido empresarial, o avelhentar da pirâmide populacional e a incapacidade política deixará, de seguir o ritmo atual, um grande deserto vazio e inerte nesta parte do nosso país.

Comarcas inteiras do nosso interior: terras de Lemos, Valdeorras, terras de Trives, Ribeira Sacra,.. todas elas de grandes riquezas, têm sofrido ao longo do tempo o abandono político e o menosprezo das administrações públicas. Se tivéssemos representantes políticos sérios; e não “monicreques”; igual daríamos avançado no desenvolvimento económico e na sustentabilidade e viabilidade futura das mesmas.

E neste desleixo político, até os próprios representantes do povo galego; chamados assim por eles mesmos; aqueles que tinham vindo para muda-lo todo, exercem de advogados do demo, e contrariam uma infraestrutura que uniria, a jeito de quadrícula romana, o interior galego com a nossa extrema do vale do Berço e a sua capital, Ponferrada. Como sempre, Galiza não conta e a construção da autoestrada A-76, Ourense-Ponferrada, fica nalguma gaveta, dalgum escritório do ministério de fomento.

O grupo, que é subgrupo, dentro de um grupo de grupos das e dos deputados de “En Marea” segue as mesmas lógicas eleitorais que o grupo, dentro do grupo, que tinha no seu tempo o Psoe. Segue a vascular a sua eleição cara o eixo onde sabe que tem os votos; que é a fortaleça nação da Espanha; no eixo de mais de 5 milhões de votantes Madrid-Andaluzia.

O argumento usado para opor-se à A76, com um percurso de pouco mais de 125 km, vai desde o da falácia ecológica, ao que também somam o de seu escasso trânsito e uma escassa redução do tempo de viagem. Para a postura contra da infraestrutura, também está o discurso do “ladrillazo”. Tijolo por cabeça é o que têm alguns. 

Estamos diante de uma infraestrutura que daria uma conexão muito mais segura, no que respeita a seguridade viária, do que a través do velho traçado da estrada N-120 e que faria muito mais cómoda e segura, uma viagem a través de uma orografia difícil. Além disto, suporia uma conexão viária que não segue o modelo radial desde Madrid, imposto no sistema de conexões dos diversos territórios do Reino da Espanha. É uma infraestrutura de conexão interior entre a Galiza central e a Galiza oriental, ambas zonas em grave crise demográfica e económica.

O impacto ambiental, que existe, por exemplo, é muito menor do que o das minas da ardósia, entre outros aproveitamentos, que são motor económico na zona, que suporta todo o impacto ambiental e ecológico sobre os rios e os diversos aquíferos e a sua orografia. 

Entretanto, olhamos estes dias como, unicamente 5 deputados do EAJ-PNV, vêm de conseguir uma tarifa elétrica própria, que beneficiara o seu desenvolvimento empresarial e 1.500 milhões de euros para o seu país. A ideologia das gentes do EAJ-PNV, é clara: EUSKADI (sim, com maiúsculas).

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

O "sincerity" score

Daniel Lago

Usualmente o bom que têm as novas televisivas é que passam num período de tempo no que geralmente as imagens e as palavras não dão associado no nosso cérebro. Por isso, as mais das vezes, a força da noticia está na sua repetição nas diversas edições, para fazer chegar a mensagem aos recetores passivos dessa nova chaminé dos nossos lares que é a TV.   Assim, há uns poucos dias, em pouco menos de trinta segundos, saiu em todos os nossos ecrãs a noticia de que o governo da Re…

Daniel Lago
Ler máis

O alcalde dança

Daniel Lago

Pois sim, vivemos numa cidade onde o nosso alcade dança. Dança de dia e dança de noite. Não e que ele seja um bom bailador, mas ele é a dançar em cada ocasião que pode. Festas, eventos e romarias varias, nelas todas o nosso alcade dança.   Esta bem isso de dançar, é sintoma de alegria e de vitalidade. É uma coisa a agradecer que temos toda a cidadania para este alcalde dançador e que transmite uma grande esperança por viver neste Vigo. A mim sempre me tira um sorriso com os s…

Daniel Lago
Ler máis

Cada pedra ten o seu andar

Xosé González Martínez

Na arte de traballar as pedras os nosos canteiros botaban man da intelixencia, dos coñecementos empíricos e da imaxinación. Todos os tres medios  conxugados facían do “arxina”, normalmente iletrado, un profesional competente capaz de crear fermosas obras de arte imperecedeiras. Por unha póla familiar tiven moito trato cos canteiros. Chamoume sempre  a atención a intuitiva imaxinación que tiñan para resolver calquera problema que  lles xordese. Deles aprendín que cando se esg…

Xosé González Martínez
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
Eva Color Santa Comba
GDR Costa da Morte 2018
Cena EACC 2018
Gadis Febrero 2018
Enova Energia
KNM Abogados
CMAT
Concello de Dumbría
Centro de Ortodoncia e Implantologia Dr. J.M. Pose Rodríguez
Concello de Mazaricos
Concello de Neda
OndaHit
En breves

Adiante TV

Opinión

O "sincerity" score

Daniel Lago

Usualmente o bom que têm as novas televisivas é que passam num período de tempo no que geralmente as imagens e as palavras não dão associado no n…

Daniel Lago
Ler máis

O alcalde dança

Daniel Lago

Pois sim, vivemos numa cidade onde o nosso alcade dança. Dança de dia e dança de noite. Não e que ele seja um bom bailador, mas ele é a dançar e…

Daniel Lago
Ler máis

Cada pedra ten o seu andar

Xosé González Martínez

Na arte de traballar as pedras os nosos canteiros botaban man da intelixencia, dos coñecementos empíricos e da imaxinación. Todos os tres medios  …

Xosé González Martínez
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información