3018 fans     1095 seguidores     33 seguidores - Club Adiante - Dirixe: Xosé Manuel Lema [Contacto]
Orange Santa Comba
Formula Hit

Luís Martínez Risco

Luís Martínez Risco

Luís Martínez-Risco Daviña,nasce em Santiago de Compostela. Doutor em História pela USC e Professor de Ensino Secundário em Ourense.

Em defensa do plurilinguismo científico.E não científico?

Publicada: 31/05/2016

Aumentar texto Disminuir texto Reiniciar texto
21
0
0

Email Google+ Pinterest Menéame Chuza! Cabozo

Tempo de lectura: 5 minutos e 5 segundos.

Envia um amigo o seguinte manifesto em seis Línguas, traduzido e assinado por outros tantos investigadores: José Remesal Rodríguez (espanhol), Giulia Baratta (alemã), Silvia Chiodi, (italiana), Simon J. Keay (inglês), Yann Le Bohec (francês) e José d’Encarnação (português). O objectivo final da campanha é exigir das autoridades europeias:

1) Que no âmbito científico se mantenha a liberdade de expressão de cada um na sua própria língua, como garantia de exactidão na manifestação dos seus própriospensamentos.

2) Que os administradores da ciência na União Europeia não imponham umaúnica língua aquando da solicitação de projectos científicos, pondo em inferioridade de condições a todos aqueles que a não têm como língua materna.

Concordo cento por cento. A universaidade da ciência não tem necessariamente que ter gerido em um único idioma. E a universalidade, mais universal ainda, dos idiomas não científicos precisam, ainda mais, de uma defesa mais contudente. 

Às vezes, mais do que é necessário, recorremos a argumentários economicistas para justificar o uso, ou não uso, de um determinado idioma, de uma determinada norma. Argumeno que feito à inversa, traz ante mim o romance, maravilhosa jóia de humor británico, Three Men on the Bummel na que os mesmos protagonistas de Three Men in a Boat, planifican uma viagem à Alemanha sem necessidade de eles falarem o alemão já que a libra,... Nos tempos da rainha Vitoria a libra era a libra.

E fico encantado e maravilhado de observar que um inglês, uma alemã, uma italiana, um porttuguês, um francês e junto todos eles um espanhol, sim um espanhol, reclaman: Que no âmbito científico se mantenha a liberdade de expressão de cada um na sua própria língua, como garantia de exactidão na manifestação dos seus própriospensamentos.

Contem todos eles com a minha manifesta e sincera solidariedade.

Ora bem, quando se trata e pensamentos, e mais que pensamentos, sentimentos. Que opinam eles? Quando os cidadãos de estados que negam  o rango de oficial a idiomas falados por milhões de pessoas que vem minus-valorizada a forma de expressão da sua cultura, do seu sentimento, da sua maneira de dizer como é que um vê mundo e vive em el. Que é o que estas mulheres e homens da ciéncia opinam?

Falam da importância da lingua materna. E falam dentro do ámbito da comunidade científica em que todos eles, um supõe, dominam os idiomas científicos. Pensemos em que pode significar que esse reconhecimento para o nosso idoma já desde a escola. E que não seja só coisa de galegos. Que esse reconhocimento seja a nivel da U.E.? Fantástico. Trementada autoestima para as crianças. E medrar em uma sociedade em que a tua cultura, o teu idoma é reconhecida como igual, seja na ciência seja na alma, deve de ser... Os que coma mim, de crianças foram educados na negação do que somos, entendem bem o que estou a dizer.

Se queres podes deixar un comentario sobre esta opinión no Facebook:

Pódeche interesar...

Os servidores de Putin

Daniel Lago

A última nova do que acontece nesta guerra “híbrida” é o back-up dos telemóveis chineses, de milhares de dados de utentes ocidentais, não é mais do que uma das batalhas que nestes dias acontecem por todo o mundo. Uma parte mais da guerra “híbrida”, uma guerra onde o “Big Data” e isso que demos em chamar a “Internet das coisas” joga já um plano fundamental. As novas tecnologias e as redes sociais são um novo campo de batalha.   Como curiosidade a China, depois do I…

Daniel Lago
Ler máis

Presupuestos Participativos de la Marea, un “éxito”

Nacho Louro

El invento de los “presupuestos participativos” no es más que un brindis al sol de la nueva política populista para vendernos que frente al sistema político de “democracia representativa”, es mejor el sistema de la “democracia participativa”, en donde los ciudadanos tienen una mayor participación en la toma de decisiones políticas, más allá de ejercer el derecho a voto cada cuatro años, con el que elegimos a nuestros representantes.    Hemos conocido el resultado del …

Nacho Louro
Ler máis

Raro o rato chorar a morte do gato

Daniel Lago

Quando em fins dos ´80 do século passado, a URSS colapsou; e com ela todo o bloco do Leste da Europa; esta estava no médio de uma forte tormenta económica, tinha batalhas e guerras abertas além e aquém do mundo e nas suas sociedades tinha-se ingerido uma mais do que forte insatisfação com o sistema, no que crescia a corrupção, o clientelismo e as desigualdades, numa sociedade governada por uma elites “white collar” que cresceram, dentro, por e para, o sustimento do PCUS e do aparel…

Daniel Lago
Ler máis

Noticias sobre A Costa da Morte, as suas comarcas e os seus concellos: Bergantiños, Soneira, Camariñas, Carballo, Cee, Corcubión, Dumbría, Fisterra, Muxía, Vimianzo, Santa Comba e Zas.
Opinión
Merca o teu pobo Santa Comba Nadal 2016
DAC Outono Cultural
Mantido S.L. Construcciones y Obras Públicas
Concello da Laracha
Concello de Mazaricos
En breves

Adiante TV

Opinión

Os servidores de Putin

Daniel Lago

A última nova do que acontece nesta guerra “híbrida” é o back-up dos telemóveis chineses, de milhares de dados de utentes ocidentais, não é …

Daniel Lago
Ler máis

Presupuestos Participativos de la Marea, un “éxito”

Nacho Louro

El invento de los “presupuestos participativos” no es más que un brindis al sol de la nueva política populista para vendernos que frente al sist…

Nacho Louro
Ler máis

Raro o rato chorar a morte do gato

Daniel Lago

Quando em fins dos ´80 do século passado, a URSS colapsou; e com ela todo o bloco do Leste da Europa; esta estava no médio de uma forte tormenta ec…

Daniel Lago
Ler máis

Conversas na Encrucillada

Usamos cookies propias e de terceiros para mostrar publicidade personalizada segundo a súa navegación. Se continua navegando consideramos que acepta o uso de cookies. OK Máis información